Clínica Fisioterapia Lisboa_Parkinson_Reabilitação_MTC

Fisioterapia e Cancro

Vivemos tempos de grande evolução na área da saúde. Quase todos os dias saem noticias sobre um novo tratamento ou um novo método de rastreio que permitem viver com mais qualidade durante mais tempo. No entanto, existem doenças que, por diversos factores, são cada vez mais frequentes, como é o caso da doença oncológica e que, no futuro, se prevê que sejam ainda mais. O Cancro é, actualmente, um grande problema de saúde pública a nível mundial, sendo a primeira ou segunda causa de morte antes dos 70 anos em 91 de 172 países. Em Portugal, a seguir às doenças cardiovasculares, é a doença que mais pessoas mata anualmente e a principal causa de anos de vida potencialmente perdidos. 

A boa notícia é que existe forma de prevenir ou, pelo menos, reduzir a probabilidade de desenvolver esta doença. Os estudos anteriores mostram-nos que o consumo do tabaco, o consumo do álcool, o excesso de peso/obesidade, a falta de atividade física bem como alimentação inadequada, pobre em hortofrutícolas e fibras, e a elevada exposição a radiação ultravioleta são as principais causas que podem ser alteradas, tal como a realização de rastreios preventivos.

Sabia que cerca de 1 em 3 mortes por cancro estão relacionadas com a dieta e actividade fisica? E que cerca de 25% dos casos de cancro são causados por excesso de peso e vida sedentária? Posto isto, não é de estranhar que na União Europeia cerca de 13000 casos de cancro podiam ser evitados se apresentassem um peso normal dentro do expectável.

Hoje vimos falar-vos de que forma a fisioterapia pode ajudar nesta prevenção ou até mesmo no tratamento. No que respeita à prática de actividade fisica, as recomendações mostram-nos que para sermos mais saudáveis é importante realizar cerca de pelo menos 150 minutos por semana de atividade de intensidade moderada ou 75 minutos se for intensa, sendo recomendada a qualquer pessoa, independentemente da idade, condição ou limitações, apenas sendo necessário adaptar, podendo sempre recorrer a um profissional para o ajudar neste processo. Ser fisicamente activo ajuda muito, tendo em conta que ajuda a controlar o peso e, consequentemente, a melhorar os níveis hormonais e o modo como funciona o sistema imunológico, prevenindo o aparecimento de doença oncológica. 

Mas não é só importante na prevenção, uma vez que pode ser uma aliada durante o tratamento ou nos sobreviventes. Frequentemente ouvimos relatos de pessoas que têm receio de iniciar a reabilitação pois temem que possa influenciar o tratamento que já realizam e, por isso, apenas uma pequena percentagem de doentes é referenciada para fisioterapia ou procura ajuda desta área. Apesar das recomendações nem sempre serem claras na frequência ou tipo de intervenção, hoje sabemos através da investigação cientifica que o exercício físico é seguro e bem tolerado durante e após os tratamentos tendo em conta que, para além de melhorar a funcionalidade, ainda ajuda nos efeitos secundários dos tratamentos, desde que seja individualizado, adaptado e prescrito após uma avaliação rigorosa de um profissional competente, como o fisioterapeuta.  A fisioterapia permitirá a longo prazo o retorno à sua rotina diária e vida social, através do trabalho de força mobilidade geral ajudando, assim, na fadiga e postura, mas também na ansiedade e auto-estima, sem esquecer que contribui para um menor risco de recidiva da doença.


Não espere mais e cuide da sua saúde! E, se precisar de ajuda, contacte-nos que decerto iremos fazer de tudo para que tenha a melhor qualidade de vida possível.

Fonte: Liga Portuguesa Contra o Cancro; Instituto Nacional de Estatistica; Direcção Geral de Saúde;
ScienceDirect; PubMed

Deixe um comentário

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *